Enfrentando os limites do crescimento, Sutentabilidade, decrescimento et prosperidade
Éditeur
IRD Éditions
Date de publication
Collection
D’Amérique latine
Langue
portugais
Fiches UNIMARC
S'identifier

Enfrentando os limites do crescimento

Sutentabilidade, decrescimento et prosperidade

IRD Éditions

D’Amérique latine

Offres

  • AideEAN13 : 9782709925662
    • Fichier PDF, libre d'utilisation
    • Fichier EPUB, libre d'utilisation
    • Fichier Mobipocket, libre d'utilisation
    • Lecture en ligne, lecture en ligne
    2.49
Desde os anos 1960, os ambientalistas e cientistas vêm alertando sobre o
perigo do colapso ambiental. Os relatórios das agência da onu e de
instituições como o World Watch Institute mostram de forma contundente a
urgência de uma mudança radical para evitar esse colapso. A novidade è que um
número crescente de economistas, até então defensores do crescimento como
panaceia para resol ver todos os problemas, agora fala dos limites do
crescimento e da necessidade de “mudar de economia”, tanto para evitar o
colapso como para alcançar a justiça social. O mais recente relatório da ocde
(Previsões ambientais para 2050: as consequências da inação”, de 2012) faz um
alerta dramático nesse sentido. Entretanto, tanto a postura dos responsáveis
políticos quanto as sohições que vêm sendo propostas (do desenvolvimento
sustentável à economia verde) estão muito aquém do esperado. Não atacam a raiz
do problema: o atual mo delo de produção e consumo já é insustentável, e o
será ainda mais quando for generalizado. Esta evidência leva a uma conclusão
incontornãvel: a necessidade de justiça social e ambiental nas relações entre
os países e no interior de cada país, única forma de tornar aceitáveis (ética,
social e politicamente) as mudanças indispensáveis. Para sobreviver, o nosso
sistema econômico précisa oferecer cada vez mais objetos com obsolescência
cada vez mais precoce, consumindo assim cada vez mais recursos e produzindo
mais lixo. A eficiência produtiva crescente (fazer mais com menos matéria e
menos energia) é uma realidade, mas essa eficiêticia tem poucos resultados em
face do aumento do consumo global. Portanto, é urgente passarmos da competição
para a colaboração; sem isto, os conflitos em torno de recursos cada vez mais
raros e mais caros serão devastadores. É urgente passarmos de um mundo que
estimula uma busca frustrante e sem fim por mais consumo para uma sociedade de
consumo baixo, mas de qualidade, que se oriente para a felicidade individual e
coletiva. Normalmente tais mudanças requereriam séculos, mas não dispomos
desse tempo. O futuro é hoje! Os textos reunidos neste livro apresentam
análises sobre várias dimensões desta problemática, tentando entender as
lógicas e interesses em jogo, as causas da inação atual e os possíveis
caminhos para sair do impasse.
S'identifier pour envoyer des commentaires.